Aprendizagem em Ambientes Virtuais: tecendo reflexões

Cinara Ourique do Nascimento, Ricardo Lemos Sainz

Resumo


Neste estudo, fundamentamos a hipótese de que reconhecida a inserção das Tecnologias de Informação e Comunicação – TIC e a evolução da educação a distância através de multiplataformas, ainda é preciso trazer à discussão os ambientes virtuais de aprendizagem – AVA. O estudo evidencia uma pesquisa crítico-reflexiva de cunho bibliográfica que discorre a complexidade neurobiológica, cultural e social do indivíduo alinhado às experiências pessoais junto aos cursos a distância que utilizam o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle. O estudo sinaliza que as ferramentas tecnológicas modificam as formas de aprender do sujeito, remodelando a cognição e estabelecendo um novo processo de aprendizagem. A compreensão do conhecimento metacognitivo, aliado aos aspectos culturais e sociais permitem um melhor aproveitamento e desdobramento do ambiente virtual, aliado também, a uma visão pedagógica e de uma correlação reflexiva do espaço emocional-relacional que emerge dos sujeitos que interagem. É importante considerar o emocionar do sujeito na aprendizagem.


Palavras-chave


educação a distância, ambientes virtuais de aprendizagem, aprendizagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15536/thema.14.2017.149-158.562

Revista Thema.

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pelotas, RS, Brasil. 


Indexadores / Indexing

Logotipo do Crossref        

Logotipo do Latindex