Como trabalhar gráficos com aluno deficiente visual – Relato de experiência

Adriana da Silva Fontes, Flávia Aparecida Reitz Cardoso, Felipe Veiga Ramos

Resumo


A formação dos alunos portadores de deficiência visual (DV) encontra várias barreiras devido ao reduzido número de pesquisas sobre a inclusão trabalhada em escolas regulares. Diante deste desafio, toda iniciativa com o propósito de contribuir para a superação da dificuldade no acesso a este conhecimento, certamente, é de grande importância. O presente trabalho visa compartilhar o relato de uma experiência, em sala de aula regular, de como ocorreu o processo ensino-aprendizagem de gráficos nas aulas de física concomitante com o de matemática, aplicado a um aluno portador de DV durante o 1º e 2º anos do ensino médio da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus de Campo Mourão. Observa-se, neste trabalho, que o aluno com DV pode fazer todas as atividades apresentadas à turma, porém, a seu tempo e necessitando de uma atenção diferenciada para algumas das atividades. Destaca-se neste trabalho a dedicação do aluno, o papel fundamental da instituição de ensino, e em especial, do professor para a obtenção dos resultados almejados.

Palavras-chave


: Construção de Gráficos; Deficiência Visual; Matemática; Física

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15536/thema.9.2012.%25p.71

Revista Thema.

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pelotas, RS, Brasil. 


Indexadores / Indexing

Logotipo do Crossref        

Logotipo do Latindex