O potencial da literatura infantil no ensino de ciências: da contação à produção coletiva de um livro

Cristiana Nazaré Goulart da Silva de Almeida, Jorge Cardoso Messeder, Flávia Monteiro de Barros Araújo

Resumo


Este artigo apresenta um relato de experiência pedagógica realizada em uma instituição pública de ensino da rede federal do estado do Rio de Janeiro, com 25 alunos do 2º ano do ensino fundamental.  Foi destacada a importância de um recurso didático no ensino de ciências que contemplasse questões de relevância social. Reconhecendo o papel da literatura infantil e a necessidade de abordar as questões ambientais, foi utilizada a contação da história “O homem que espalhou o deserto” de Inácio de Loyola Brandão. O objetivo central foi despertar nos estudantes um olhar para questões ambientais, mediante os questionamentos críticos e reflexivos. O desenvolvimento decorreu de atividades discursivas por meio da roda de conversas, e ao término da contação os alunos criaram um livro coletivo com suas próprias histórias, diante da problemática discutida na atividade. O trabalho é parte de uma pesquisa em desenvolvimento, num mestrado profissional em Ensino de Ciências, que tem o propósito de propor a literatura infantil como prática na sala de aula para a abordagem ambiental, na construção de conceitos pelas crianças, em atitudes e comportamentos de intervenção na relação com a natureza.


Palavras-chave


Literatura infantil; Ensino de ciências; Educação ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15536/thema.15.2018.792-803.913

Revista Thema.

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pelotas, RS, Brasil. 


Indexadores / Indexing

Logotipo do Crossref        

Logotipo do Latindex